domingo, 22 de novembro de 2015

Aos dias de semana também perfumados de amor.

Das pequenas alegrias da vida: aproveitar o seu horário de almoço para, ao menos uma vez na semana, almoçar com o namorado(a). Voltar ao expediente com a mistura, em suas mãos, do cheiro natural da pele dele(a) junto ao perfume que ele(a) costuma usar.

No trabalho, você faz suas tarefas e, quando menos espera, sente o cheiro dele(a), a lembrança de que você esteve com ele(a), o tipo de saudade que te enche de saúde, de amor. Entre uma demanda e outra, você cheira suas próprias mãos, só pra sentir o perfume dele(a).

E simplesmente assim o seu dia a dia se transforma. A rotina muda, ganha uma fragrância surpreendente e mais que bem-vinda.

Uma segunda - ou terça - ou quarta - ou quinta - ou uma sexta-feira em que você esteve com ele(a); tá certo que por apenas algum tempo da sua hora de almoço ou café da manhã ou jantar, mas que foi aproveitado até o último minuto. Sentimento bom de sobra ignora frios e calculistas cronômetros. 

Que bom, meu Deus, que é sempre tempo de amar, por mais que uma realidade de horror e violência nos rodeie; por mais que o mal conspire contra.

Como não amar essas pequenas alegrias?

Um comentário:

Margareth Itou disse...

A felicidade, o amor se encontram nas pequenas coisas. É uma pena que muita gente não tem tempo (ou sensibilidade)para apreciá-las.

O cheiro da chuva, a beleza de uma flor (ou mesmo a beleza das flores e folhas caídas ao chão)estão por aí, de graça para todos. Só não prestamos atenção. Não damos o devido valor. E com isso, perdemos momentos de felicidade!